(In)segurança alimentar no Brasil no pré e pós pandemia da COVID-19: reflexões e perspectivas

(In)segurança alimentar no pré e pós pandemia

  • Bruna Fernanda do Nascimento Jacinto de Souza Universidade Estadual de Campinas
  • Milena Serenini Bernardes Universidade Federal de São Paulo, Departamento de Pediatria, São Paulo, SP, Brasil.
  • Valéria Cristina Ribeiro Vieira Universidade Federal de Alfenas, Faculdade de Nutrição, Alfenas, MG, Brasil
  • Priscila Maria Stolses Bergamo Francisco Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Departamento de Saúde Coletiva, São Paulo, SP, Brasil.
  • Letícia Marín-León Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Departamento de Saúde Coletiva, São Paulo, SP, Brasil.
  • Daniele Flaviane Mendes Camargo Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Departamento de Saúde Coletiva, São Paulo, SP, Brasil.
  • Ana Maria Segall-Corrêa Universidade Estadual de Campinas, Faculdade de Ciências Médicas, Departamento de Saúde Coletiva, São Paulo, SP, Brasil.

Abstract

A alimentação e a nutrição adequadas são fundamentais para a promoção e a proteção da saúde, podendo determinar as condições de saúde de indivíduos e coletividades de diversos modos. A despeito dos avanços conquistados no Brasil - no que tange à realização do direito humano à alimentação adequada (DHAA) e à concretização da segurança alimentar e nutricional (SAN) - vêm-se observando, desde 2016, o enfraquecimento e o desmonte das políticas públicas de garantia de direitos e fortalecimento de sistemas alimentares sustentáveis. Tal cenário contribui para o aumento da pobreza e a piora das condições de vida de consideráveis parcelas da população. Os dados da última Pesquisa de Orçamentos Familiares (POF 2017-2018) mostram que a prevalência de insegurança alimentar no país aumentou para 36,1% (era 22,9% em 2013), sendo que 3,1 milhões de famílias vivenciaram a experiência da fome no período analisado. Essa situação se agrava em função da crise política e da crise sanitária causada pela pandemia da COVID-19. Nesse contexto, torna-se premente a reflexão sobre quais são as perspectivas no país em relação à garantia do DHAA e da SAN, especialmente para os grupos mais vulneráveis, considerando dimensões como acesso à alimentação, renda básica, programas de transferência de renda, sistemas e ambientes alimentares e mecanismos de participação e controle social.

Published
07-02-2021
How to Cite
Fernanda do Nascimento Jacinto de Souza, B., Serenini Bernardes, M., Cristina Ribeiro Vieira, V., Maria Stolses Bergamo Francisco, P., Marín-León, L., Flaviane Mendes Camargo, D., & Segall-Corrêa, A. M. (2021). (In)segurança alimentar no Brasil no pré e pós pandemia da COVID-19: reflexões e perspectivas : (In)segurança alimentar no pré e pós pandemia. InterAmerican Journal of Medicine and Health, 4. https://doi.org/10.31005/iajmh.v4i.160
Section
Opinion Papers