As duas faces da vitamina D como terapia adjuvante na covid-19

  • Erivan de Souza Oliveira Universidade de Fortaleza (UNIFOR)
  • Marcela Feitosa Matos Universidade Estadual do Ceará
  • Olga Samara Silva Cavalcante Universidade de Fortaleza (UNIFOR)
  • João Victor Costa Silvestre
  • Dayane Estephne Matos de Souza
  • Arlandia Cristina Lima Nobre de Morais Universidade de Fortaleza (UNIFOR)

Abstract

No final do ano de 2019 em Wuhan, província de Hubei, China, surgiu o primeiro caso de covid-19, causada pelo agente etiológico denominado de síndrome respiratória aguda grave coronavírus 2 (SARS-CoV-2), que rapidamente se espalhou por diversos países do mundo. Atualmente, na literatura existem vários estudos que informam que a vitamina D pode reduzir as taxas de replicação viral e a concentração de citocinas pró-inflamatórias, através mecanismos relacionados a estimulação de defensivas e catelicidinas. É possível observar que os resultados obtidos não são unânimes ao definir a dose ideal de vitamina D para a suplementação dos pacientes com covid-19. Sugere-se a realização de estudos clínicos adicionais que possam avaliar a eficácia e as concentrações ideais dessa vitamina para o tratamento (se possível) dos pacientes com SARS-CoV-2, pois a vitamina D não é isenta de efeitos adversos e uso inadequado pode ocasionar problemas gastrintestinais e metabólicos que podem agravar os sintomas da covid-19.

Published
27-04-2020
Section
COVID-19 in debate

Most read articles by the same author(s)